Começando seu Cultivo, Dicas de Cultivo

Guia Completo de Rega no Cultivo Indoor [2024]

A rega é um processo essencial no cultivo indoor, uma vez que as plantas necessitam de água para realizar suas funções básicas, principalmente a fotossíntese. Mas quanta água utilizar e quando fazer a rega sempre foi um desafio enfrentado pelos growers… Como não existe uma regra, esse artigo servirá de guia para você acertar e aprender como regar cannabis da maneira correta. Abaixo, seguem os tópicos tratados neste artigo:

Entendendo as Necessidades Hídricas da Maconha

Cada planta possui uma necessidade de rega específica. Então, ao cultivar maconha, é essencial compreender as necessidades hídricas específicas da planta, garantindo seu desenvolvimento saudável e máximo rendimento na hora da colheita. 

Diferentes strains (cepas) podem exigir quantidades variadas de água, influenciadas por fatores genéticos, estágios de crescimento e condições ambientais. Manter um equilíbrio na rega é essencial: o excesso de água pode levar ao sufocamento das raízes, aumentando o risco de doenças como a podridão radicular, enquanto a falta de água pode estressar a planta, resultando em folhas murchas e um desenvolvimento prejudicado. 

A seguir, vamos te ensinar a identificar os diferentes problemas relacionados à água que podem surgir no seu grow indoor.

Sinais de Falta de Água no Cultivo de Cannabis

A insuficiência de água no cultivo de maconha pode levar a uma série de problemas significativos, impactando diretamente a absorção de nutrientes essenciais pela planta. Sem a hidratação adequada, o equilíbrio do solo é perturbado, comprometendo a saúde geral e a eficácia da fotossíntese necessária para o crescimento saudável da planta. 

Embora as plantas de cannabis possam sobreviver a períodos de seca, a recuperação dos danos causados pela desidratação exige tempo, durante o qual o crescimento fica retardado, atrasando assim o ciclo de desenvolvimento da planta. Garantir uma rega consistente e adequada é crucial para manter o ritmo ideal de crescimento e garantir a vitalidade e produtividade do seu grow de cannabis.

A seguir, segue uma lista de dicas para identificar sinais de falta de água no cultivo de cannabis:

  • Folhas Murchas: uma das primeiras indicações de falta de água é o murchar das folhas. Elas podem parecer flácidas ou caídas, perdendo sua rigidez natural.
  • Folhas Secas ou Quebradiças: se a planta está desidratada há algum tempo, as folhas podem começar a ficar secas e quebradiças ao toque. Isso geralmente começa nas bordas e pontas das folhas.
  • Crescimento Lento: a cannabis que não recebe água suficiente tende a crescer mais lentamente, pois a falta de água limita a disponibilidade de nutrientes e a capacidade da planta de realizar a fotossíntese eficientemente.
  • Folhas Enroladas: as folhas podem começar a enrolar ou curvar para cima como uma resposta ao estresse hídrico, tentando minimizar a área da superfície exposta ao ar para reduzir a perda de água.
  • Solo Seco: verificar o solo é um método direto para avaliar a necessidade de água. Se o solo está seco e esfarelado ao toque, especialmente a alguns centímetros de profundidade, é hora de regar.
  • Mudanças na Cor: a falta de água pode fazer com que as folhas desenvolvam uma coloração amarelada ou marrom, um sinal de que a planta está incapaz de sintetizar clorofila adequadamente.
  • Estresse e Atrofia: em casos extremos, a planta pode entrar em um estado de atrofia, onde o crescimento cessa completamente e a planta pode começar a morrer se a água não for fornecida rapidamente.
Legenda: sinais típicos de uma maconha desidratada – folhas secas, curvadas e amareladas.

Sinais de Excesso de Água no Cultivo de Cannabis 

O excesso de água no cultivo de cannabis é um dos problemas mais comuns para cultivadores iniciantes. Regar demais pode levar ao afogamento das raízes, uma vez que o substrato fica tão saturado de água a ponto de não existir mais oxigênio disponível para a respiração radicular. 

O excesso de rega também cria um ambiente propício para o desenvolvimento de doenças, pois a estagnação da água compromete o transporte eficiente de nutrientes essenciais, prejudicando a fotossíntese e a saúde geral da planta. 

Além disso, a umidade excessiva favorece a proliferação de fungos e micro-organismos patogênicos, elevando o risco de podridão nas raízes – um mal devastador que pode comprometer a estabilidade da planta, levando eventualmente à sua morte. Monitorar cuidadosamente a rega e as condições do substrato é crucial para evitar esses riscos, assegurando um cultivo saudável e produtivo.

A seguir, segue uma lista de dicas para identificar sinais de excesso de água no cultivo de cannabis:

  • Folhas Caídas ou Flácidas: folhas que estão caídas ou parecem flácidas podem ser um sinal de excesso de água, sendo possível observar certo inchaço devido ao excesso de água nos tecidos foliares.
  • Folhas Amarelas: o excesso de água pode causar o amarelecimento das folhas, começando geralmente pelas mais baixas. Isso acontece porque o excesso de água interfere na capacidade da planta de absorver nutrientes essenciais, como o nitrogênio.
  • Folhas com Pontas Marrons ou Queimadas: embora muitas vezes associado à falta de água, as pontas marrons ou queimadas nas folhas também podem ser um sinal de excesso de água, especialmente se o solo não estiver secando adequadamente entre as regas.
  • Raízes Apodrecidas ou Com Mau Cheiro: se o substrato estiver constantemente encharcado, pode ocorrer apodrecimento das raízes. Ao verificar as raízes, se elas estiverem marrons, viscosas ou com um cheiro desagradável, isso indica podridão, frequentemente devido ao excesso de água.
  • Presença de Fungos ou Mofo: excesso de umidade cria um ambiente propício para o desenvolvimento de fungos e mofo, que podem aparecer na superfície do solo ou na base da planta.
  • Crescimento Lento ou Estagnado: o excesso de água pode afogar as raízes, privando-as de oxigênio e dificultando a absorção de nutrientes, resultando em crescimento lento ou estagnado da planta.
  • Solo Consistentemente Úmido: se o solo nunca parece secar e está sempre úmido ao toque, é provável que a planta esteja recebendo água em excesso.
Legenda: sinais típicos de uma maconha com água demais – folhas inchadas, curvadas e amareladas.

Fonte: Growdiaries.

Fatores que Influenciam na Rega

Agora que já conhecemos os problemas com falta e excesso de irrigação, vamos conhecer os fatores que influenciam na quantidade de regas no cultivo indoor.

Influência dos Fatores Ambientais

A quantidade de água que a cannabis precisa é um fator diretamente influenciado por vários fatores ambientais, incluindo a temperatura do ambiente, a umidade relativa do ar, a potência da iluminação e o fotoperíodo. Por exemplo:

  • A intensidade da iluminação é crucial, pois afeta a capacidade das plantas de realizar a fotossíntese, um processo que impulsiona o crescimento e o desenvolvimento. Em condições ideais, uma iluminação mais intensa exige que as plantas utilizem mais água para transportar nutrientes essenciais, facilitando assim, a fotossíntese e o crescimento saudável. Vale a pena visitar nossa loja e ver nossos painéis de LED para cultivo!
  • O fotoperíodo, ou a duração da exposição à luz, também desempenha um papel significativo. Um período prolongado de luz estimula a absorção contínua de nutrientes e água, aumentando a demanda por uma rega adequada. Compreender e ajustar esses fatores conforme as necessidades específicas de suas plantas garantirá um cultivo indoor mais eficiente e produtivo.

Influência do Tamanho do Vaso

O tamanho do vaso influencia diretamente na retenção de umidade do substrato e, consequentemente, na frequência de rega necessária. Vasos maiores têm a capacidade de armazenar mais umidade, o que pode prolongar o intervalo entre as regas, embora exija volumes maiores de água por irrigação. 

Escolher o tamanho de vaso apropriado, considerando o tipo de planta e as condições do substrato, é fundamental para promover um ambiente saudável, maximizando o potencial de crescimento e a vitalidade geral da planta.

Legenda: vasos pequenos precisam ser regados com mais frequência.

Influência do Tipo de Planta

Diferentes espécies de plantas têm necessidades variadas quanto à frequência e quantidade de água; algumas preferem regas esparsas, enquanto outras se beneficiam de uma hidratação mais constante, mas em volumes menores. 

No cultivo específico da Cannabis, a adoção de um cronograma de rega semanal é recomendada, permitindo que o cultivador ajuste a frequência de irrigação com base nas necessidades hídricas já conhecidas da maconha. 

No Brasil, por exemplo, é comum que as plantas de Cannabis sejam regadas de duas a quatro vezes por semana, ajustando-se conforme a localização geográfica e o método de cultivo empregado. Este esquema de irrigação personalizado é crucial para garantir a saúde da planta e maximizar a eficácia do cultivo.

Influência da Genética e do Tamanho

O tamanho e a genética das plantas desempenham um papel crucial na determinação das suas necessidades hídricas. Strains de maconha maiores, com mais folhas e maior porte, naturalmente transpiram mais água, aumentando a necessidade de uma rega mais frequente para compensar a perda de umidade para o ambiente. 

Além disso, à medida que a planta cresce, expandindo suas raízes e aumentando sua massa foliar, seu metabolismo se intensifica, resultando em um maior consumo de água. Essa correlação entre o tamanho da planta, a atividade metabólica e a frequência de rega é fundamental para ajustar as práticas de irrigação, garantindo que as plantas recebam a quantidade de água adequada para um desenvolvimento saudável e vigoroso. 

Para escolher as melhores genéticas de sementes de maconha, recomendamos o site da Milgrows, onde você pode utilizar o cupom CULTLIGHT10 para receber 10% de desconto na compra de sementes.

Influência do Estágio de Desenvolvimento na Rega

Durante o Estágio de Floração, as plantas experimentam processos internos intensificados em comparação com o Estágio Vegetativo, o que pode influenciar suas necessidades hídricas. Embora isso não represente necessariamente um aumento na frequência da irrigação, a quantidade de água exigida pela rega na floração tende a ser maior para suportar o desenvolvimento acelerado. 

A prática recomendada é iniciar com volumes menores de água e ajustar progressivamente à medida que a planta cresce, monitorando diariamente para identificar o intervalo ideal entre as regas. Ajustar a quantidade de água é fundamental, podendo ser aumentada ou diminuída baseando-se na resposta da planta e no volume do vaso. Por exemplo, uma regra geral é aplicar aproximadamente 10% do volume total do vaso em cada rega. 

Essa proporção, contudo, deve ser adaptada de acordo com as especificidades do seu método de cultivo e o número de regas estabelecido por semana, garantindo assim que cada planta receba a hidratação adequada para prosperar tanto no vegetativo quanto na floração.

Influência do Tipo de Substrato na Rega

O substrato ou meio de cultivo que você escolhe desempenha um papel fundamental na definição do regime de rega necessário para o seu grow. Dependendo do tipo de substrato, a frequência e a quantidade de rega podem variar significativamente. 

Substratos que retêm mais água, como substrato orgânico, podem demandar regas menos frequentes, proporcionando um ambiente úmido contínuo ideal para o desenvolvimento saudável das raízes. Por outro lado, meios de cultivo que drenam rapidamente, como fibra de coco, podem exigir uma irrigação mais regular, até mesmo diária, para manter as plantas hidratadas. 

A escolha do substrato adequado é essencial para garantir que suas plantas recebam a quantidade certa de água, evitando tanto o excesso quanto a falta, e promovendo um crescimento saudável.

Legenda: o substrato orgânico continua úmido por mais tempo.

Sistemas de Rega para Cultivo Indoor

No cultivo indoor, escolher o sistema de rega adequado é fundamental para o sucesso das plantas. Cada sistema tem seus prós e contras, e a escolha ideal depende das necessidades específicas do seu cultivo, da sua rotina e do nível de controle desejado sobre o ambiente de cultivo.

  • O sistema manual (utilizando um regador ou balde) permite um controle direto e pessoal, sendo ideal para cultivadores que preferem um envolvimento diário no grow e têm tempo para dedicar-se ao cuidado das plantas. Apesar de sua simplicidade, requer mais esforço e tempo, aumentando o risco de inconsistências na rega, uma vez que você tem que estar presente todo dia no horário correto para regar as plantas.
  • O sistema de gotejamento, por outro lado, oferece uma rega precisa e consistente diretamente nas raízes, economizando água e nutrientes e reduzindo o risco de doenças. Contudo, pode ser mais complexo de instalar e ajustar.
  • Sistemas automáticos de rega representam o ápice da conveniência, fornecendo rega regular sem necessidade de intervenção constante, ideal para quem tem agendas apertadas ou em cultivos maiores. No entanto, a automação da rega pode ser mais cara e exige uma configuração cuidadosa para evitar a rega excessiva ou insuficiente.
Legenda: sistema de rega automática de gotejamento Netbow da Netafim.

Como Regar Maconha: passo a passo

Agora que já discutimos os fatores que influenciam a frequência e o volume das regas semanais, vamos te ensinar como regar suas plantas nos diferentes estágios de desenvolvimento e com os diferentes substratos utilizados. 

Vale lembrar que recomendamos que todos os substratos normalmente sejam misturados com perlita para aumentar a capacidade de retenção de água, influenciando diretamente o número de regas necessárias ao longo da semana. Recomendamos este modelo de perlita.

A Qualidade da Água Influencia na Rega?

Depende. A qualidade da água influencia em como a planta absorverá ela e os nutrientes presentes no meio. Assim como você precisa de água limpa, as plantas também precisam. Não pegue água de qualquer lugar sem controle de qualidade… Água da encanada é ideal!

Mas, água encanada tem a tendência de possuir muito cloro, o que não é benéfico para as raízes. O ideal é deixar a água descansar por 24h a 48h num recipiente aberto para que o cloro seja evaporado e as raízes não sejam afetadas.

Outro fator interessante é a temperatura da água: evite água muito quente ou muito fria, prefira temperatura ambiente para que não ocorra o choque térmico na zona das raízes.

Existe Hora Certa pra Regar?

A melhor hora para a irrigação no cultivo indoor é logo após as luzes acenderem, pois o espaço de cultivo ainda não está quente, então a água será melhor absorvida pelas raízes, ao invés de evaporar.

A rega também poderá ser feita pouco tempo antes das luzes apagarem, mas se você é um cultivador que diminui ou desliga o sistema de ventilação e exaustão após as luzes apagarem, tome cuidado: a água poderá evaporar e ficar presa dentro da tenda, criando um ambiente ideal para a propagação de pragas.

Sinais de que Está na Hora de Regar a Maconha:

Para verificar a umidade do solo, um método simples é inserir um dedo ou um palito de churrasco no substrato até uma profundidade de 3 a 5 cm. Um substrato que deixa o dedo ou palito seco indica a necessidade de rega. 

É essencial considerar que a secagem do substrato ocorre de cima para baixo; portanto, um topo seco não significa que as camadas inferiores estejam desidratadas. Esse entendimento evita o erro comum de irrigação excessiva, baseando-se apenas na condição superficial do solo.

Rega no Estágio de Muda: 

Quando a planta é bem pequena, cerca de 20 ml a 50 ml de água já é o suficiente. Regue apenas ao redor da muda, de preferência com um borrifador.

Rega no Estágio Vegetativo e no Estágio de Floração: 

Durante essa fase, você deve tomar cuidado para regar toda a superfície do substrato, de forma que ele absorva água uniformemente até a parte mais profunda do vaso. 

Não encha de água só na região onde fica o caule, pois a chance de afogar sua planta é grande. Abaixo, vamos detalhar como regar de forma precisa no cultivo orgânico e no cultivo mineral.

Regador preto e prateado derrubando água em uma planta de maconha.
Legenda: durante o vegetativo e na floração, regue o substrato de uniformemente.

Como Regar o Cultivo Orgânico

Nos substratos ricos e vivos, como o super solo, a rega precisa não só nutrir, mas também respeitar o ecossistema subterrâneo que sustenta suas plantas. Um dos maiores desafios, especialmente nas fases iniciais do cultivo, é evitar o excesso de rega, ou overwatering. Este erro comum pode ser fatal, principalmente para mudas e plantas na fase vegetativa, que demandam muito menos água do que imaginamos.

Mão segurando um punhado de terra.

Como Regar Evitando Excesso de Água:

Overwatering é um erro comum que pode sufocar suas plantas, privando-as de oxigênio e favorecendo o desenvolvimento de doenças radiculares. Uma técnica eficaz para sempre garantir a quantidade ideal de água é pesar o vaso após uma rega adequada, estabelecendo assim um peso de referência. 

No entanto, é crucial entender que, à medida que sua planta cresce e ganha peso, especialmente após entrar na fase de floração, o peso do vaso aumentará significativamente. Assim, essa técnica é mais confiável durante a fase de muda e início da fase vegetativa. Conforme a planta se desenvolve, outros indicativos de necessidade de água devem ser considerados para ajustar a rotina de rega.

Uma boa prática é regar cerca de 5% a 10% do volume total do solo. Vamos detalhar como você pode aplicar essa regra e ajustar a quantidade de água com base no tamanho do vaso, considerando uma conversão adequada para litros e mantendo as proporções corretas. 

Consideramos dois exemplos: um vaso de 15L e outro de 11L. Para regar entre 5% e 10% do volume do solo, você deve:

  • Vaso de 15L: a rega deve ter entre 750mL (5%) e 1500mL (10%).
  • Vaso de 11L: a rega deve ter entre 550mL (5%) e 1100mL (10%).

Idealmente, você regaria com a quantidade média desses valores a cada dois a três dias, ajustando com base na resposta da planta e nas condições ambientais.

Evite Run-off:

No cultivo orgânico, é crucial regar de maneira que toda a água seja absorvida pelo solo, evitando o escoamento (run-off). Ou seja, sua rega não deve fazer com que água saia por baixo do vaso. Isso garante que os nutrientes permaneçam no solo e estejam disponíveis para as plantas, além de evitar a perda de micro-organismos benéficos que ajudam na saúde da cannabis.

Velocidade da Rega:

Regar lentamente e com cuidado, espalhando a água uniformemente sobre o solo, é essencial para permitir que o super solo absorva a água eficazmente. Uma rega rápida demais pode não saturar o solo uniformemente, levando a zonas secas. A técnica de rega deve ser tal que a água se espalhe uniformemente, sem criar canais de erosão que levem à drenagem ineficiente. O objetivo é imitar uma chuva leve, proporcionando umedecimento uniforme.

Utilização de Feno como Mulch:

Cobrir a superfície do solo orgânico com feno (disponível em pet shops) é uma excelente forma de manter a umidade e fornecer uma barreira contra a evaporação. O mulch de feno também adiciona matéria orgânica ao solo conforme se decompõe, beneficiando a estrutura do solo e a atividade microbiana.

Rega com Turfa como Substrato de Cultivo

A turfa, apesar de ser um meio inerte, exige atenção semelhante à do solo vivo no que diz respeito à irrigação. É crucial verificar regularmente se as camadas inferiores do substrato estão começando a secar antes de proceder com a rega. 

Uma atenção especial deve ser dada para evitar que a turfa seque excessivamente, pois ela pode desenvolver propriedades hidrofóbicas, repelindo água e aumentando a necessidade de irrigações mais frequentes e abundantes. Quando utilizada puramente como meio inerte, sem adição de material orgânico, a turfa requer a aplicação constante de soluções nutritivas nas regas, processo conhecido como fertirrigação. Este método garante que as plantas recebam os nutrientes necessários para o crescimento saudável, visto que a turfa por si só não fornece tais nutrientes. 

Como Regar o Cultivo Mineral

Substratos inertes como fibra de coco, lã de rocha e casca de arroz são componentes essenciais dos sistemas hidropônicos passivos, onde desempenham um papel vital no suporte e ancoragem das raízes das plantas. Nestes sistemas, a água não é apenas um veículo para a hidratação, mas também um meio crucial para o transporte eficiente de nutrientes, dado que os substratos não fornecem alimentação por si só. 

A prática da fertirrigação torna-se indispensável, exigindo aplicações frequentes de água com fertilizantes para garantir que o substrato permaneça constantemente umedecido, facilitando assim a absorção contínua de nutrientes pelas plantas. Em ambientes hidropônicos com meios inertes, as regas podem precisar ser realizadas no mínimo diariamente e, dependendo das necessidades específicas do sistema e das plantas, até várias vezes ao dia, assegurando uma nutrição adequada e um crescimento saudável.

Importância do pH no Cultivo Mineral

Aprender a medir e corrigir o pH da solução nutritiva é essencial para garantir o sucesso do cultivo. O pH pode ser medido com o Medidor PH600 da Milwaukee: basta inserir o aparelho por cerca de um minuto na solução nutritiva para que o valor seja informado.

Com o pH da solução nutritiva correto, os nutrientes ficarão disponíveis mais facilmente, otimizando o consumo de nutrientes e, consequentemente, os rendimentos da planta.

pH Ideal para cada Estágio da Cannabis:
  • Estágio Vegetativo: pH entre 5,5 e 5,8.
  • Estágio de Floração: pH entre 5,8 e 6,2.
  • Estágio de Finalização: pH entre 6,0 a 6,2.
Efeitos do pH Incorreto na Cannabis:
  • pH Alto: quando o pH está acima do ideal para a cannabis, as plantas começam a ter dificuldades na absorção de nutrientes. Isto deve-se ao fato de que certos nutrientes tornam-se menos disponíveis em pH mais alto, podendo levar a deficiências nutricionais visíveis, como amarelecimento das folhas e crescimento atrofiado. Essas deficiências ocorrem mesmo que os nutrientes estejam presentes no substrato, pois as raízes não conseguem absorvê-los eficazmente.
  • pH Baixo: de maneira similar, um pH muito baixo também prejudica a absorção de nutrientes, mas afeta diferentes elementos em comparação com um pH alto. Por exemplo, a disponibilidade de magnésio e cálcio é reduzida em pH baixo, o que pode levar prejudicar o crescimento da planta. Além disso, um pH excessivamente ácido pode danificar o sistema radicular, deixando as plantas mais susceptíveis a doenças do solo.
  • pH Instável: flutuações significativas no pH da solução ou do substrato podem estressar as plantas, fazendo com que elas tenham que se ajustar constantemente para absorver diferentes nutrientes. Isso pode levar a sintomas de deficiências ou toxicidades nutricionais, mesmo quando os nutrientes estão presentes em quantidades adequadas.
Ajuste do pH da Solução Nutritiva:

A maioria dos nutrientes e suplementos adicionados à solução nutritiva impactam o nível de pH. Nutrientes base tendem a diminuir o pH, enquanto suplementos, como o silício, podem aumentá-lo. O ajuste do pH da sua solução nutritiva dependerá do pH da água inicial e da receita específica para cada estágio de crescimento.

  • Após adicionar os nutrientes, espere alguns minutos para que a solução estabilize antes de medir o pH.
  • Para diminuir o pH, você deve adicionar uma substância ácida conhecida como “pH DOWN” na solução.
  • Para subir o pH, uma substância alcalina conhecida como “pH UP” deve ser adicionada na solução.
  • Recomendamos os produtos da General Hydroponics.
  • Depois de ajustar, certifique-se de medir novamente para verificar. É aconselhável registrar os valores de pH de entrada no seu diário de cultivo.
Não é Necessário Medir o pH do Run-off:

Embora seja essencial ajustar o pH da solução de entrada, você não deve se preocupar com o pH da água de escoamento (run-off). Sua única preocupação com o pH deve ser sempre fornecer uma solução nutritiva de entrada que esteja dentro da faixa apropriada. Muitos cultivadores tomam a decisão equivocada de fornecer uma solução nutritiva fora da faixa aceitável numa tentativa mal orientada de corrigir os valores de pH do escoamento. Isso pode desestabilizar o pH da solução nutritiva na zona radicular e tornar os nutrientes indisponíveis. Para evitar essa armadilha comum, simplesmente ignore o pH do escoamento.

Importância do EC no Cultivo Mineral

EC significa “Condutividade Elétrica”. Essa é uma medida da salinidade da água – como parâmetro, a água destilada tem uma Condutividade Elétrica de 0.

A EC é medida em milisiemens por centímetro (valores como 0,00 – 2,00) ou microsiemens por centímetro (valores como 0 – 2000), sendo que um milisiemen equivale a 1000 microsiemens. Na nossa loja, possuímos o Medidor CD600 da Milwaukee: basta inserir o aparelho por cerca de um minuto na solução nutritiva para que o valor seja informado.

Aprender a medir a Condutividade Elétrica (EC) é essencial no cultivo, pois a salinidade da água indica a concentração de nutrientes disponíveis para as plantas. Entender e ajustar a EC é vital para manter as plantas saudáveis e evitar tanto a subalimentação quanto a superalimentação.

Efeitos da EC Incorreta na Cannabis:
  • EC Alta: quando a Condutividade Elétrica é muito alta, as plantas têm dificuldade em absorver água devido à osmose. Se a solução nutritiva tiver uma EC mais alta do que a planta pode suportar, a água pode ser extraída da planta, causando o que é conhecido como “queimadura por nutrientes” ou “queimadura por fertilizante”. Isso resulta em sintomas como pontas queimadas, folhas secas e enrugadas, crescimento lento e até a morte da planta.
  • EC Baixa: por outro lado, uma Condutividade Elétrica muito baixa pode levar as plantas a absorverem água em excesso e produzirem menos açúcares, uma vez que a concentração de açúcares nas raízes é uma resposta à EC da solução nutritiva. Apesar da planta estar absorvendo mais água, isso não significa que a planta está absorvendo mais nutrientes, o que pode expor a planta ao risco de subalimentação.
  • EC Instável: uma Condutividade Elétrica que está constantemente flutuando força as plantas a se ajustarem constantemente, o que pode ser estressante e prejudicial. Por isso, a prática comum de alternar irrigações com água pura e água nutritiva deve ser evitada, pois isso leva a uma EC instável na zona radicular.
É Necessário Medir a EC do Run-off:

A solução que escorre após a rega (run-off) deve ser cuidadosamente monitorada para assegurar que a Condutividade Elétrica se mantenha dentro dos valores ideais. Se a EC do escoamento for consistentemente mais alta do que a EC de entrada, isso pode indicar que as plantas não estão absorvendo todos os nutrientes, sugerindo a necessidade de ajustes. Isso também pode indicar que sua frequência ou volume de rega estão insuficientes e está havendo acúmulo de salinidade no substrato.

A EC da água de escoamento nos dá a melhor noção do estado nutricional das raízes. Seu principal objetivo de manejo é manter o valor de EC do escoamento perto do valor de entrada.

Como Medir a EC do Run-off?
  • Possua um medidor de EC/ppm.
  • Documentar essas medições em seu diário de cultivo é essencial para monitorar o desempenho da EC de cada planta ao longo do tempo.
  • Sempre é necessário medir a EC da solução nutritiva de entrada (inflow) e, periodicamente, a EC do escoamento. Inicie verificando diariamente a EC do escoamento até que os valores se tornem previsíveis, permitindo um espaçamento maior entre as medições posteriores.
  • Sob condições normais, aceita-se que a Condutividade Elétrica do escoamento seja até 0,3 mS/cm maior que a de entrada. Se exceder 0,4 mS/cm, medidas corretivas são necessárias.
O que é Flushing?

O flushing é uma técnica de lavagem do solo, fazendo com que os nutrientes em excesso saiam pela água de run-off (escoamento). Quando a EC (condutividade elétrica) do escoamento estiver perigosamente acima do desejado, um “flushing” deve ser considerado.

Para fazer com que a EC chegue aos níveis ideais, você deve:

  • Preparar a solução nutritiva normal com a EC de entrada;
  • Regar a planta, aumentando significativamente o volume de rega até que a EC de entrada seja igual à de saída.
EC Ideal para cada Estágio da Cannabis em Millisiemens:

Durante as mudanças no ciclo de vida da planta, é necessário ajustar a EC gradualmente. O ideal é aumentar a EC da solução nutritiva de entrada em não mais de 100 pontos por evento de fertirrigação e não mais de 200 pontos por dia.

  • Mudas: 0.4 – 0.6 mS/cm
  • Início do Vegetativo: 1.1 – 1.4 mS/cm
  • Final do Vegetativo: 1.2 – 1.6 mS/cm
  • Início da Floração (1 a 3 semana): 1.2 – 1.8 mS/cm
  • Meio para o Final da Floração: 1.6 – 2.0 mS/cm
  • Finalização (2 últimas semanas): 0.5 – 0.7 mS/cm
Diretrizes de Ajuste da EC (Condutividade Elétrica):
  • EC de run-off < ao EC de entrada: não representa problema e deve se autocorrigir.
  • EC de run-off até +0,2 mS/cm > EC de entrada: não representa problema. Monitore a EC duas vezes por semana.
  • EC de run-off entre +0,2 a +0,3 mS/cm > EC de entrada: o escoamento está aceitável. Monitorar a EC diariamente e considerar aumentar a frequência de fertirrigação.
  • EC de run-off entre +0,3 a +0,4 mS/cm > EC de entrada: você deve aumentar a frequência de fertirrigação e/ou a quantidade de run-off.
  • EC de run-off entre +0,4 mS/cm ou mais > EC de entrada: você deve realizar um flushing com a solução nutritiva de entrada, aumentando o volume até que a EC de saída igual a de entrada.

Sobre o Autor:

Meu nome é Carlos Eduardo, paciente de Cannabis Medicinal e sócio fundador da Cultlight, empresa especializada em iluminação para horticultura e cultivo indoor. Pra quem já me conhece do Instagram ou do YouTube, eu sou o Cadu da Cultlight. Sou Engenheiro de Produção formado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde pesquiso sobre de Cannabis, cultivo, produção e autoprodução, principalmente com o foco medicinal. Te convido a acompanhar nossos conteúdos nas redes sociais para ter acesso a mais dicas e conteúdos técnicos gratuitos sobre cultivo de maconha!

Se você ainda possui alguma dúvida sobre cultivo de cannabis, por mais simples e básica que pareça ser, não hesite em entrar em contato com a Cultlight, nós faremos o possível para te ajudar ao longo de todo o caminho.

Chama lá!

+55 21 968731570

3 pensamentos sobre “Guia Completo de Rega no Cultivo Indoor [2024]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *