Dicas de Cultivo, Otimizando seu Cultivo

Como Clonar Maconha no Cultivo Indoor [2024]

No cultivo indoor é muito comum ouvirmos falar de clonagem. Neste guia, iremos explicar como clonar maconha no cultivo indoor!

Propagação da Maconha

Propagação de Cannabis legal nos EUA.

Para as plantas, propagação é a forma de continuar uma espécie. Uma planta pode se propagar de duas formas diferentes: reprodução sexuada ou assexuada. Então, como clonar no cultivo indoor? A reprodução sexuada (geração de sementes) consiste na troca de gametas, que irão originar um embrião e, posteriormente, uma nova planta. Nesse tipo de propagação, a nova planta terá o material genético diferente dos pais.

A reprodução assexuada também é conhecida como propagação vegetativa. Segundo o Embrapa, “a propagação vegetativa consiste em multiplicar assexuadamente partes de plantas (células, tecidos, órgãos ou propágulos), originando indivíduos geralmente idênticos à planta-mãe”.

A planta-mãe é uma planta que você irá escolher para servir de “mãe” para a propagação de novas mudas. A clonagem é uma técnica de cultivo, mas com outros objetivos. Confira técnicas para ter um rendimento melhor!

Clonagem da Maconha

Propagação (ou clonagem) de Aloe e outras plantas.

Sabemos que a clonagem é, nada mais, nada menos, do que uma propagação vegetativa, mas o por que este nome?

Tudo começa com a escolha da planta-mãe. Como nesse tipo de propagação você irá multiplicar uma planta já existente, você deverá escolher uma planta para ser a geradora de outras novas, sem o precisar gerar sementes e germiná-las.

Além disso, a escolha implicará em clones com características genéticas idênticas à mãe (folhas com coloração diferente, tamanho, produção final, etc.) e algumas características emocionais também podem ser herdadas da mãe, como estresses ou resistência às pragas. Com a clonagem é possível garantir diversas mudas de uma única planta; é possível colocar essas mudas para vegetar e, posteriormente, florir ou, até mesmo, colocar clones enraizados para florir. A escolha é sua!

Estaquia da Maconha

Propagação por estaquia.

O processo de reprodução vegetativa mais comum, ou seja, a forma de clonar no cultivo indoor (e o que muitos chamam de clonagem) é a estaquia.

A estaquia consiste no plantio de pedaços (ou estacas) do caule, raízes ou folhas, que são retirados da planta mãe, e plantados em um substrato úmido, para o desenvolvimento de raízes nessas estacas. A partir do momento que as estacas criam raízes, elas podem ser consideradas novas plantas (mas lembre-se, com a característica genética igual à da planta-mãe) e podem começar o seu desenvolvimento vegetativo ou passarem para o estágio floral.

Clonagem na prática

Agora que já vimos o que realmente é a clonagem, vamos falar de como colocar em prática. O artigo abordará a propagação vegetal na Cannabis, planta versátil e que possui um processo de estaquia relativamente simples. O método a seguir garante boas taxas de enraizamento, será explicado o uso de cada material e indicado alguns substitutos para que você consiga clonar no cultivo indoor.

Material necessário:

Planta-mãe em estágio vegetativo;
Tesoura de poda ou lâmina (higienizada);
Copo de água;
Copo descartável (um para cada clone que será retirado);
Substrato (recomendamos coco, para retenção de umidade e oxigenação);
Hormônios de enraizamento (opcional);
Um saco plástico transparente ou uma garrafa pet transparente cortada.

Em primeiro lugar, garanta que a planta-mãe está em estágio vegetativo, saudável e em vigor pleno, isso é crucial para não atrapalhar o seu crescimento.

Em segundo, selecione os galhos que serão transformados em clones, esses ramos precisam ter acima de três nós ou pontos de brotação aparente (locais onde irão desenvolver folhas novas ou brotos).

Corte o galho num ângulo de 45 graus (metade de um corte reto), e remova todos as folhas e brotos abaixo do segundo nó superior. Caso a folhagem superior esteja muito grande, você poderá cortá-las ao meio, garantindo que o broto precisará de menos energia para se manter vivo e gerar raízes. Essa redução também garantirá menos transpiração, fazendo com que a planta perca menos água.

Após isso, mergulhe o broto cortado num copo com água e deixe descansar por cinco minutos até um dia. Esse processo garante a remoção de ar no interior dos galhos, o que pode provocar murchamentos e perda dos brotos.

Clonagem com Aloe (EUA).

Clonar no cultivo indoor nem sempre é fácil, por isso, hormônios enraizadores (como sela gel, ácido indolbutírico, rootex, babosa, entre outros), garantem menos riscos de o ar ficar acumulado no interior dos brotos, além de otimizar o processo de enraizamento. Normalmente, essa etapa é feita retirando o broto do copo com água e passando sua ponta no gel/pó.

Faça pequenos furos na base no copo descartável, que será onde os clones vão enraizar, coloque o substrato e umedeça bem com água ou solução nutritiva (importante é a água não ficar acumulada no copo, ela deve sair por baixo, mas o substrato estar saturado de umidade).

Após isso, coloque o broto no substrato, com uma profundidade suficiente para mantê-lo firme (entre dois e três dedos). A etapa a seguir é importante, pois clones necessitam de uma alta umidade para serem capazes de gerar as raízes. Após o aparecimento delas, o clone terá capacidade para absorver a própria água do substrato.

A forma mais simples consiste em cobrir o copo com uma garrafa pet cortada ou um saco plástico (ambos transparentes) e borrifar bastante água nas laterais, garantindo um ambiente com umidade entre 70 e 90%. Após os dois primeiros dias, abra o recipiente uma vez ao dia, para garantir uma troca de ar e, caso necessário, umedeça novamente.

Outra forma de se fazer é utilizando uma caixa transparente com tampa (um organizador, por exemplo). Você irá cobrir o fundo com uma camada de argila expandida ou perlita, adicionar água suficiente apenas para cobrir essa camada inferior, colocar o copo com o broto ali dentro e fechar a tampa. Para garantir melhores resultados, faça um pequeno furo na lateral da caixa transparente e coloque um filtro de café no furo ou tecido EVA (assim você terá uma pequena troca de ar e impede que a umidade fique acima dos 99%).

Lembre-se de abrir a caixa para troca de ar uma vez ao dia e borrifar água nas laterais sempre que estiverem secas. Também fique de olho no substrato e garanta que ele ainda está com bastante umidade, caso não, coloque mais água ou solução nutritiva. Uma outra solução é ter furos na caixa, preferencialmente com alguma tela (para evitar impurezas). Coloque os brotos para receberem luz indireta (mas com claridade) ou com alguma lâmpada de iluminação fraca (que não esquente muito ou seja muito forte para as pequenas novas plantas). Utilize fotoperíodo do estágio vegetativo (18/6, o que mais gostamos; 20/4; ou 24/0).

As raízes começam a aparecer entre 7 e 14 dias, e quando já possuem um tamanho suficiente, já estão prontas para serem transplantadas para outro substrato e recipiente.

Automáticas X Fotoperíodo

A propagação vegetativa da Cannabis pode ser feita em plantas de qualquer origem, automáticas ou fotoperíodo (regulares e feminizadas), porém algumas boas práticas devem ser observadas. Como plantas automáticas possuem tempo de vida determinado e não dependem do fotoperíodo para contiuar no vegetativo, tirar clones de automáticas pode ser perda de tempo.

Isso ocorre, pois, você terá uma planta-mãe que já está com os dias totais correndo, gastará de 7 a 14 dias, em média, para enraizar um clone e sobrará pouquíssimo tempo de vida para aquele clone vegetar e ir para a flora.

Além disso, para plantas-mães no fotoperíodo, devemos levar em consideração que, quanto mais tempo aquela planta existir, mais lento ficará seu metabolismo e mais suscetível à pragas e doenças ela estará, além de produzir menos clones. Portanto, muitas vezes a planta-mãe tende a ser substituída por clones vigorosos ou por novas plantas-mães vindas de sementes.

Deriva genética

Deriva genética é um termo que designa uma microevolução, uma evolução genética em pequena escala e que ocorre de forma aleatória.

Essas mudanças no DNA podem ser causadas por falhas na replicação do código genético (através da divisão celular) ou estimulados por meio externo (conhecido como herança epigenética), onde, alterações ambientais afetam molecularmente as células e também podem transmitir essas informações de uma geração para a outra.

Dito isso, uma potencial falha genética em um clone que servirá de planta-mãe, irá ser transmitida para todos os outros novos clones. Assim, uma geração inteira de clones pode ser arruinada, com a replicação dessa falha e até o surgimento de outras que implicarão em um não desenvolvimento das plantas.

A deriva genética dificilmente irá estragar clones de uma mesma planta-mãe recém tirada de uma outra planta que veio da semente, mas pode se manifestar depois de diversas gerações de novos clones, que são transformados em plantas-mãe. Isso, normalmente, leva tempo para acontecer e se manifestar.

Então, imagine: uma planta-mãe, tempos depois, um clone toma o lugar como planta-mãe. Esse clone possui uma pequena falha em seu DNA e continuará sendo replicado. Tempos depois, um clone irá tomar o seu lugar e assim continuará o ciclo até não ser possível mais que os clones cresçam saudavelmente ou com mutações “bizarras”.

Conclusão sobre Clonagem…

Procure manter a planta-mãe em ótimas condições de vida e com vigor pleno, ela é importante para a nova geração de clones que estará por vir. Quanto aos clones, lembre-se de proporcionar um ambiente ideal para a sua propagação, evitando estresses e possíveis modificações acidentais em seu DNA, bem como a perda desses brotos por não enraizarem.

Mantenha todos os equipamentos que serão utilizados limpos e higienizados; um ambiente com alta umidade e temperatura controlada (mas tenha cuidado com fungos); e evite os clones que estão enraizados, mas não tão saudáveis.

Sobre o Autor:

Meu nome é Carlos Eduardo, paciente de Cannabis Medicinal e sócio fundador da Cultlight, empresa especializada em iluminação para horticultura e cultivo indoor. Pra quem já me conhece do Instagram ou do YouTube, eu sou o Cadu da Cultlight. Sou Engenheiro de Produção formado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde pesquiso sobre de Cannabis, cultivo, produção e autoprodução, principalmente com o foco medicinal. Te convido a acompanhar nossos conteúdos nas redes sociais para ter acesso a mais dicas e conteúdos técnicos gratuitos sobre cultivo de maconha!

Se você ainda possui alguma dúvida sobre cultivo de cannabis, por mais simples e básica que pareça ser, não hesite em entrar em contato com a Cultlight, nós faremos o possível para te ajudar ao longo de todo o caminho.

Chama lá!

+55 21 968731570

2 pensamentos sobre “Como Clonar Maconha no Cultivo Indoor [2024]

  1. SERGIO ALBERTO FARIA BARBOSA disse:

    Uma verdadeira aula de como clonar maconha. Com textos profundamente necessários e de escrita fácil de entender. Meus parabéns.

    1. Daniel disse:

      Muito obrigado pelas palavras atenciosas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *