Enciclopédia do Cultivador

Cannabis – Métodos de Extração sem Solvente [2024]

Cristal de aparência translúcida e cor amarela.

Grande parte da produção de cannabis medicinal é feita utilizando métodos de extração sem solvente, o que significa que as substâncias terapêuticas da maconha são extraídas de forma mecânica, como esfregando com as mãos ou utilizando prensas hidráulicas, não sendo introduzidos produtos químicos em sua composição.

Muitos usuários, principalmente os medicinais, preferem as extrações sem solvente por serem livres de qualquer resíduo químico e serem seguras para se produzir em casa.

Você é um cultivador iniciante? Quer aprender como cultivar maconha, da germinação até a colheita? Nosso Aulão da Cultlight é perfeito para você! Você vai ter acesso à aulas ao vivo apresentadas pelo Cadu (engenheiro de produção formado pela UFF) e também vai receber quatro apostilas exclusivas produzidas pela nossa Equipe.

Sobre uma mesa branca, existe uma bola de haxixe marrom aberta ao meio.
Legenda: O haxixe é o exemplo mais comum de extração sem solvente.

Seguindo a tendência mundial, o mercado brasileiro está se conscientizando sobre os benefícios das extrações sem solvente e descobrindo ser uma mentira os relatos que afirmam que esses métodos rendem menos e são menos potentes do que as extrações com solvente.

Para te introduzir nesse universo, montamos um guia explicando sobre todos os métodos de extração canábica que não utilizam solvente. Abaixo, você pode ver quais hashishes serão apresentados neste post!

Haxixe Tradicional:

Uma extração sem solvente clássica: um bloco de haxixe marrom.

De forma geral, o haxixe (ou hashish) é produzido a partir da secagem das plantas de maconha no sol, que posteriormente são batidas e sacudidas em telas finas para filtrar os tricomas. Depois dessa etapa, os tricomas são prensados a calor para se transformar em blocos de haxixe.

Os tricomas são estruturas vegetais feitas de resina, possuindo tamanhos diferentes e qualidades diferentes: tricomas mais maduros contêm maior concentração de terpenos e canabinóides.

Tricomas parecem gotas, ou pequenos cogumelos translúcidos, finas embaixo e com uma chapéu em cima.
Legenda: Os tricomas carregam uma grande quantidade de canabinóides e terpenos (substâncias aromáticas).

O consumo de haxixe é uma das formas mais antigas de fazer extrações de cannabis, tendo sua origem associada a povos tradicionais do Oriente Médio, Ásia e África.

Esse concentrado possui baixo teor de CBD e THC, compostos importantes pro uso medicinal da maconha. A coloração e qualidade do haxixe pode variar entre as melhores, de coloração dourada, e as piores, de coloração marrom escura.

Haxixe Charas:

Mãos com as palmas para cima mostrando o charas grudado nelas.
Fonte: Pierre-Arnaud Chouvy

O Charas é provavelmente o método mais simples e fácil de se produzir concentrados de maconha. O processo basicamente consiste em apertar suavemente as flores vivas ou recém colhidas para que a resina delas grude nas mãos. Depois a resina é coletada e com ela são feitas bolas ou blocos de haxixe.

O Charas é uma das técnicas mais tradicionais e antigas de extração sem solvente, e é intimamente ligado à religiosidade, principalmente nas regiões do subcontinente indiano. Tradicionalmente, o Charas é fumado em um chillum de pedra (uma espécie de cachimbo) por Sadhus, os monges hindus. 

O resultado dessa extração é um concentrado bastante úmido e macio, com a coloração verde escura. A fama dessa extração é de ser mais potente e com maior perfil de terpenos do que o hash clássico

Haxixe Dry Sift:

Dry Sift, que em tradução livre significa peneirar a seco, é uma técnica de extração sem solvente que surgiu a partir dos anos 70 como evolução de outro método, conhecido como “carpet collection” (coleta em tapete).

Os cultivadores perceberam que, ao manusear as plantas de maconha, os tricomas maduros caiam pelo chão. Para não desperdiçar essa substância, eles começaram a mexer nas plantas utilizando um tapete limpo embaixo, por isso o nome “carpet collection”. 

Com o passar dos anos, a técnica para fazer o Dry Sift foi evoluindo até chegar à forma de produção atual. Esse método consiste em utilizar telas de diversos tamanhos (micragens) para peneirar folhas e flores secas de maconha, separando diferentes tamanhos de tricomas, de diferentes qualidades.

O haxixe Dry Sift parece areia verde em cima da tela branca.
Legenda: Uma tela de Dry Sift cheia de tricomas.

O resultado obtido nessa extração sem solvente tem textura granular e é conhecido como kief, keef ou kif. O Dry Sift é um método relativamente fácil de produzir concentrados de cannabis, você só precisa comprar uma tela e pôr a mão na massa

Os consumidores desse haxixe o descrevem como um concentrado extremamente potente.

Haxixe Dry Sift Static Tech:

Static Tech é uma técnica utilizada para purificar ainda mais o kief obtido através do Dry Sift. Essa técnica usa a eletricidade estática para remover impurezas e contaminantes das cabeças de tricomas (resina).

Legenda: Esse vídeo ensina como utilizar o método de extração com eletricidade estática.

A extração canábica utilizando a técnica Static Tech é um processo longo e trabalhoso de se fazer, mas o resultado é um kief de qualidade extraordinária, apesar de possuir um rendimento muito baixo.

Haxixe Fresh Frozen Dry Sift:

Historicamente, a única forma de produzir o Haxixe Dry Sift era utilizando folhas e flores de maconha seca. Porém, nos últimos anos, alguns líderes da indústria desenvolveram técnicas de extração utilizando folhas de maconha frescas. Uma destas técnicas resulta num concentrado de cannabis chamado Fresh Frozen Dry Sift.

Para que isso seja possível, a cannabis deve ser colhida e congelada em menos de 1 hora. Depois, utiliza-se uma máquina refrigeradora (abaixo de 0 °C) que agita a maconha, separando os tricomas congelados do resto do material. 

Então a extração é levada ao dry freezer (freezer seco, ou máquina de liofilização) para secar. O resultado é um concentrado que preserva as características aromáticas e terapêuticas da maconha ao máximo.

Bubble Hash:

Uma bolsa de filtragem cheia de Bubble Hash e uma colher pegando o haxixe.

Bubble Hash é o nome dado a uma extração sem solvente que utiliza água, gelo e bolsas de filtragem com diferentes micragens para separar os tricomas das flores secas de maconha. Esse concentrado de cannabis também é conhecido como Ice, Ice-o-lator, Water Wash e IWE (Ice Water Extraction).

É importante utilizar bolsas de filtragem com diferentes micragens (tamanho de abertura da malha de filtragem onde os tricomas são retidos) para separar os tricomas em diferentes estágios de maturação.

O Bubble Hash (Hashish de Bolha) possui esse nome porque, se for aquecido, ele borbulha. Essas bolhas são um sinal que atesta a pureza do hash..  

Legenda: Essa é a aparência das bolhas do Bubble Hash aquecido.

A origem dessa técnica de extração sem solvente é incerta. Algumas pessoas dizem que a responsável por descobrir esse concentrado foi a Hash Queen, Mila Jensen, outros dizem que o breeder conhecido como Skunkman foi o responsável pela descoberta.

O Bubble Hash é uma das extrações sem solvente mais eficientes para preservar os terpenos da matéria vegetal e obter um resultado final com sabor excelente.

Fresh Frozen Bubble Hash:

O Fresh Frozen Bubble Hash tem o mesmo método de produção que o Bubble Hash comum, mas o diferencial é o uso de folhas frescas de maconha, que devem ser colhidas e congeladas em menos de 1 hora. Utiliza-se água, gelo e bolsas de filtragem com diferentes micragens para separar os tricomasSSSs das flores de maconha.

Esse processo de extração consegue preservar ainda mais os terpenos da cannabis e, por isso, o Fresh Frozen Bubble Hash têm se tornado cada vez mais popular.

Manter o material vegetal fresco antes da extração preserva o perfil de terpenos, mas também torna o material mais volátil e um pouco mais complicado de se fazer a extração. Para se ter sucesso nessa técnica de extração, é extremamente importante fazer todo o processo em um ambiente frio.

Haxixe Dry Ice:

Balde vibratório cheio de gelo seco e maconha.
Legenda: Máquina de extração automática com gelo seco.
Fonte: 420 Magazine.

Dry Ice é uma técnica de extração sem solvente em que é utilizado gelo seco para congelar as cabeças dos tricomas e facilitar a separação delas da matéria vegetal.

A extração ocorre através da agitação da maconha congelada, que solta as glândulas de resina em cima de bolsas de filtragem, utilizadas para separar os tricomas (úteis para tratamentos terapêuticos) do resto do material vegetal (que não possui uso terapêutico).

Dry Ice Hash do lado de um pequeno centavo de dólar.
Legenda: O Dry Ice Hash possui uma aparência dourada e granulada.

Podemos dizer que o Dry Ice é uma mistura dos conceitos de outras duas extrações sem solvente: o Bubble Hash e o Dry Sift. 

Assim como no Bubble Hash, o gelo é utilizado para congelar a cannabis, além de se utilizar o mesmo tipo de bolsa de filtragem. 

Já no Dry Sift, a similaridade é presente em diversos fatores: ambos os concentrados podem ser consumidos sem a necessidade de secar; na forma como as glândulas de resinas são separadas, que é através da agitação mecânica da matéria; os dois haxixes possuem a mesma aparência e são conhecidos pelo mesmo nome, o kief.

Haxixe de Óleo Rosin:

O Rosin, como é comumente chamado, é uma técnica muito recente de extração de maconha sem solvente. Ela foi criada acidentalmente em 2015 pelo cultivador californiano Phil Salazar, enquanto ele tentava derreter e melhorar a qualidade de um haxixe utilizando uma chapinha de cabelo. 

O Haxixe de Óleo Rosin é obtido através da prensagem e do aquecimento da matéria vegetal utilizando uma prensa. O processo para fazer esse concentrado é muito rápido e fácil de se fazer, sendo possível prensar uma colheita inteira em poucas horas.

Uma prensa vermelha, prateada e preta, com uma alavanca esticada para frente e um regulador de temperatura do lado.
Legenda: Exemplo de prensa térmica utilizada na produção de Rosin.

Atualmente, o Óleo de Rosin é considerado um dos concentrados sem solvente mais potentes, apesar do calor acabar destruindo os terpenos da maconha. O resultado da extração irá variar dependendo de alguns fatores como: tempo e temperatura de prensagem; além do tipo e da qualidade da matéria prima a ser utilizada.

No final do processo, o Haxixe Rosin pode ter um aspecto parecido com óleo ou então possuir consistência de manteiga. A cor pode ser clara, quase branca, até marrom escura.

Existem três tipos de Haxixe de Óleo Rosin:

Flower Rosin – Esse óleo é feito utilizando somente as flores de maconha. Os melhores resultados são obtidos com buds de cannabis secos (sem ou com pouco tempo de cura) e com umidade em torno de 60%.

Um instrumento de metal com uma bola de Flower Rosin enrolada na ponta.
Legenda: Aparência do concentrado de Flower Rosin.

Hash Rosin – Esse concentrado de maconha é produzido ao utilizar a prensa térmica para apertar blocos de haxixe. Por se tratar de uma extração feita a partir de uma outra extração, o resultado é um rosin extremamente potente, sendo rico em terpenos e canabinóides.

É possível utilizar qualquer tipo de haxixe no Hash Rosin, sendo que a coloração final e o rendimento vão variar de acordo com a matéria prima utilizada. Algumas opções, do pior para o melhor, é utilizar o haxixe clássico, o Haxixe Dry Sift e o Bubble Hash.

Dois blocos de haxixe espremidos para fazer Hash Rosin.
Legenda: Essa é a aparência de um bloco de haxixe prensado.

Live Rosin – Esse haxixe é obtido através do aquecimento e prensagem de outra extração: o Fresh Frozen Bubble Hash. Ou seja, a extração é feita a partir de um haxixe produzido com folhas frescas de maconha, por isso o nome live (vivo).

O Live Rosin é considerado a extração de maconha sem solvente mais potente e saborosa da atualidade.

O Live Rosin parece uma gelatina meio cristalizada e amarela.
Legenda: Aparência do Live Rosin.

Extração de THC-A:

Esse é um processo de produção de concentrado canábico totalmente novo. O THC-A isolado é feito a partir de diversas prensagens de matéria vegetal de altíssima qualidade através de bolsas de filtragem a uma temperatura de 60°C.

Essa extração separa a resina em duas frações: cristais de THC-A amarelos e brancos; e um líquido com alto teor de terpeno, que pode ser incorporado depois ao THC-A. 

O consumo do THC-A pode levar a benefícios terapêuticos incríveis. É bom lembrar que esse concentrado só possui efeitos psicoativos ao ser aquecido, quando muda a estrutura química de THC-A para THC.

Conclusões Sobre Extrações Sem Solvente:

Com o avanço da ciência contemporânea, cada vez mais médicos e terapeutas passam a entender o grande potencial que a cannabis possui para uso medicinal. 

A maior parte desses tratamentos é realizada utilizando concentrados de maconha produzidos a partir da extração de canabinóides, como o THC e o CBD, e terpenos, que são os compostos aromáticos dessa planta.

Existem diversas formas de extrair as substâncias terapêuticas da maconha. 

As técnicas mais seguras de produzir estes concentrados são as extrações sem solvente, pois normalmente não envolvem o uso de ferramentas caras, além de não possuírem químicos contaminantes. Apesar disso, por não possuírem solvente para a purificação, a matéria vegetal utilizada na extração deve ser de extremamente pura, sem contaminantes como pesticidas e fungos.

Para definir qual é o melhor concentrado de maconha, é necessário entender que cada técnica possui motivos para ser utilizada. Não podemos afirmar que o Haxixe Charas, muito utilizado na Índia, se torna obsoleto somente porque existem técnicas mais modernas de produção.

É importante buscar qual motivo levou você a pesquisar sobre as extrações de cannabis sem solvente, para então buscar o método de extração ideal para suas necessidades!

Sobre o Autor:

Meu nome é Carlos Eduardo, paciente de Cannabis Medicinal e sócio fundador da Cultlight, empresa especializada em iluminação para horticultura e cultivo indoor. Pra quem já me conhece do Instagram ou do YouTube, eu sou o Cadu da Cultlight. Sou Engenheiro de Produção formado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde pesquiso sobre de Cannabis, cultivo, produção e autoprodução, principalmente com o foco medicinal. Te convido a acompanhar nossos conteúdos nas redes sociais para ter acesso a mais dicas e conteúdos técnicos gratuitos sobre cultivo de maconha!

Se você ainda possui alguma dúvida sobre cultivo de cannabis, por mais simples e básica que pareça ser, não hesite em entrar em contato com a Cultlight, nós faremos o possível para te ajudar ao longo de todo o caminho.

Chama lá!

+55 21 968731570

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *