Começando seu Cultivo, Dicas de Cultivo

NÃO faça isso no seu cultivo! Erros de iniciantes no cultivo indoor

A internet é um lugar repleto de informações sobre cultivo e, ao passo que isso é fantástico, também pode ser terrível quando técnicas ruins disfarçadas de dicas infalíveis são difundidas. Todo mundo já caiu nas ciladas do mundo grower ao menos uma vez e se ainda não aconteceu com você, é bom estar preparado. Esse artigo vai te salvar dos erros de iniciantes no cultivo indoor.

Como evitar ciladas no cultivo indoor:

Um cultivo se faz com técnicas, isso é fato. Mas precisamos estar atentos para não abraçar qualquer dica infalível sem antes entender o que ela promete, como funciona e se, de fato, é eficaz.  Se você quiser um Guia Completo de Cultivo Indoor, dá uma olhada nesse artigo que fizemos!

A variedade de plantas presentes na natureza é imensa e técnicas que funcionam para algumas, podem significar, literalmente, a morte para outras. Dito isso, é necessário que se saiba de onde determinada técnica foi tirada e em qual planta foi testada, pois certamente a cultura do tomate se comporta, em alguns aspectos, de maneira diferente comparada à cannabis. E claro, também existem dicas que não são boas para nenhuma planta.

A proposta deste artigo é informar sobre técnicas que podem prejudicar a planta por apresentarem uma proposta onde o resultado é totalmente oposto, lembrando que cada um constrói sua maneira de cultivar conforme sua realidade e princípios. Nosso objetivo não é julgar, mas sim, informar.

Não Jogue Matéria Orgânica Diretamente no Vaso

Esse é um dos erros de iniciantes no cultivo indoor mais comuns e duvidosos, uma vez que é uma “dica” muito compartilhada. Seja em forma de chá, batida de liquidificador ou enterrando os resíduos orgânicos diretamente no solo, o resultado dessa prática não é bom e eu vou te explicar o motivo.

A matéria orgânica, ao entrar em decomposição, passa por alguns estágios de aquecimento e resfriamento que contam com bactérias, fungos, actinomicetos e outros organismos que vão decompor a matéria e torná-la um composto fértil. Ao enterrar uma casca de banana no vaso, o primeiro estágio de decomposição se dá pela expansão de colônias de microrganismos mesofílicos que vão elevar a temperatura do ambiente e degradar os resíduos mais fáceis, ou seja, seu solo vai esquentar bastante, prejudicando as raízes e promovendo a fuga ou morte das minhocas que estiverem no vaso.

Não jogue cascas de banana no vaso de planta.

Além disso, o processo de decomposição deixa o ambiente úmido e com presença de fungos, tornando-se um terreno fértil para o aparecimento do Fungus Gnats, a mosquinha dos fungos, uma praga bastante incômoda. Até aqui já dá pra perceber como esse negócio de matéria orgânica diretamente no solo causa problemas, né?

E se forem aquelas caldas, batidas ou chás o desfecho também não é muito diferente. O único adicional é que, por estar em estado líquido, elas não serão decompostas com facilidade. Quem pratica compostagem sabe que a granulometria dos resíduos não pode ser nem tão grande e nem em forma pastosa, batida em liquidificador, etc. Isso vai dificultar a decomposição dos resíduos e seguir o mesmo esquema descrito acima.

Por fim, a compostagem segue sendo a melhor opção para ter seu próprio adubo em casa. Existem diversas formas de construir composteiras que atendem as necessidades de espaço de cada pessoa. Caso não seja possível, com certeza é melhor não arriscar tentar compostar alimentos dentro do seu ambiente de cultivo.

Não Coloque Prego no Caule

Essa técnica é geralmente utilizada em plantas perenes, mais especificamente em plantas críticas. Em resumo, ao martelar o prego no caule ou qualquer outra ação que simule que a planta está sendo atacada, ela vai entender como uma ameaça e vai concentrar seus esforços em produzir seus frutos, pois a reprodução é o cerne da vida vegetal. No caso da cannabis, isso não faz tanto sentido, uma vez que ela não é uma planta de vida longa e isso só vai gerar um estresse desnecessário. Veja bem, a técnica é válida e funciona, mas para outros tipos de planta, não sendo o caso da maconha.

Não Utilize Gelo no Cultivo Orgânico

A busca por plantas resinadas é constante no mundo grower. Contudo, a proposta de colocar gelo no vaso para simular o que ocorre no frio e fazer com que as plantas fiquem mais resinadas é um tiro no pé. De fato, a cannabis produz mais tricomas e terpenos quando é submetida a temperaturas mais baixas. Entretanto, quando falamos em temperatura baixa estamos nos referindo ao ar, e não ao solo.

O solo possui efeito isolante térmico, o que significa quem em regiões mais frias ou que nevam, o solo consegue se manter na média de 28 graus por conta dos microrganismos ativos ali presentes. Portanto, mesmo sob temperaturas muito baixas, as raízes ainda conseguem manter a temperatura ideal para elas.

Ao colocar gelo em cima do solo, a única coisa que você vai causar é estresse na planta, pois, diferente do cultivo outdoor, o cultivo indoor não conta com o efeito isolante térmico que camadas maiores do solo apresentam. Todos os organismos que trabalham em camadas mais profundas do solo são prejudicados quando você coloca gelo no vaso e podem entrar em dormência ou morrer. O resultado é solo prejudicado, planta prejudicada, flor prejudicada e jardineiro frustrado.

Se você pretende resinar mais a sua planta através da simulação do frio, procure formas de deixar o ambiente mais frio, como por exemplo, utilizando ar condicionado.

Não Deixe a Planta Durante 36 horas na Escuridão

Deixar a planta em total escuridão baseia-se na teoria de que o THC é um fitocanabinoide associado à proteção solar e que essa proteção é gerada na escuridão. Portanto, ao deixar a planta no escuro, você estaria garantindo o aumento da concentração desses protetores solares, ou seja, do THC.

Contudo, não existem comprovações científicas que afirmam a eficácia dessa técnica, uma vez que sequer existe uma certeza a respeito da função do THC como protetor solar da planta ou protetor de herbivoria, que seria outra teoria acerca desse canabinoide. Os estudos que estão sendo feitos são a respeito do Ciclo Circadiano, que demonstra as diferentes concentrações de canabinoides em diferentes partes da planta ao longo do dia. Portanto, como não há evidência científica, deixar a planta no escuro por 36 horas não faz diferença.

Espero que você tenha curtido esse artigo. Erros de iniciantes no cultivo indoor são comuns, mas não significa que você deve insistir neles!

Sobre o Autor:

Meu nome é Carlos Eduardo, paciente de Cannabis Medicinal e sócio fundador da Cultlight, empresa especializada em iluminação para horticultura e cultivo indoor. Pra quem já me conhece do Instagram ou do YouTube, eu sou o Cadu da Cultlight. Sou Engenheiro de Produção formado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde pesquiso sobre de Cannabis, cultivo, produção e autoprodução, principalmente com o foco medicinal. Te convido a acompanhar nossos conteúdos nas redes sociais para ter acesso a mais dicas e conteúdos técnicos gratuitos sobre cultivo de maconha!

Se você ainda possui alguma dúvida sobre cultivo de cannabis, por mais simples e básica que pareça ser, não hesite em entrar em contato com a Cultlight, nós faremos o possível para te ajudar ao longo de todo o caminho.

Chama lá!

+55 21 968731570

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *