Benefícios da Cannabis

A Estreita Relação Entre Atletas da NBA e a Cannabis [2024]

Logo retangular da NBA, com o lado esquerdo azul, o direito vermelho e, em vez da silhueta branca de um jogador de basquete no meio, existe a silhueta branca de uma folha de maconha.


A maconha sempre foi popular entre os jogadores da NBA. Alguns atletas juram usar cannabis ou ingredientes ativos isolados, como delta-9-tetrahidrocanabinol (THC) e canabidiol (CBD).

Essas substâncias têm o potencial de aliviar a ansiedade e aumentam o limiar de dor para que eles possam levar seu treinamento ao extremo. Outros dizem que prejudica o trabalho pois, em vez de ir treinar, acabam comendo comendo besteira em frente da televisão.

Independente das experiências de cada jogador, a WADA, agência mundial antidoping, anunciou que quer reduzir o número de testes positivos de cannabis. Por um bom motivo: o grande número de atletas presos por não terem intenção de trapacear.

Por muitos anos, a liga da NBA combateu a cannabis, porém os protocolos estão mudando. De 2015 em diante, a política da liga em relação à cannabis era “o jogador passava por 6 testes durante a temporada, caso reprovasse em 3 testes, seria eliminado”. Porém, devido a pandemia, a liga deixou de testar os jogadores.

Toda propaganda negativa da cannabis causa mal-entendidos por parte da opinião pública, que vincula essa substância a uma “droga recreativa” e não a um “medicamento eficaz”. Além disso, não há dúvida de que o surgimento dos casos de cannabis na mídia não está emprestando credibilidade às instituições antidopagem, que parecem entusiasmadas com os “pequenos criminosos” e ineficazes contra os “grandes trapaceiros”.

THC e CBD: para que servem?


A maioria das pessoas pensa corretamente na maconha medicinal ao considerar os benefícios para a saúde. A falta de plasticidade ou rigidez muscular, por exemplo, interfere no movimento e em muitas outras funções corporais de atletas e pessoas comuns. Pacientes com esclerose múltipla que fumam uma versão melhorada da maconha (usando um spray) têm resultados eficazes em relação ao retorno da plasticidade muscular.

Inclusive, um número crescente está encontrando benefícios semelhantes com o uso do CBD, especialmente para pessoas ativas e atletas na medicina esportiva.

Existe uma grande variedade de produtos de CBD no mercado americano legalizado. Há relatos da importância do CBD no controle do apetite (uma dose regular de CBD pode regular o apetite, permitindo que comam menos), dores (alguns experimentam uma recuperação mais rápida de dores e sofrimentos com óleo CBD – em alguns casos, as pessoas usam uma pequena quantidade antes do exercício, o que as faz se recuperarem mais rapidamente após o término do exercício) e aumento de energia (CBD pode dar um leve aumento de energia, sem a sensação nervosa de algum estimulante).

Se você já sentiu uma dor terrível na panturrilha, sabe que a contração muscular conhecida popularmente como câimbra, pode acontecer rapidamente e durar de segundos a horas.

Um espasmo muscular é uma contração involuntária de um músculo que pode ser causada por exercício intenso ou causada por um músculo fraqueza ou desidratação ou perda de eletrólitos (uma substância condutora que contém íons em movimento).

Em alguns casos, esses espasmos podem afetar vários órgãos do corpo. Esses espasmos típicos estão associados a doenças mais ou menos graves (esclerose múltipla, paralisia cerebral, lesões na medula espinhal, asma e outros distúrbios neurológicos).

O CBD é muito utilizado no combate de dores do tipo. De certo, como muitos notaram ao longo do uso de CBD, não há “brisa”. Isso é bom para a medicina esportiva, além dos esportistas se concentrarem no condicionamento físico. Por sua vez, os usos potenciais dos produtos CBD estão apenas arranhando a superfície.

Pesquisas recentes mostram que o CBD é muito semelhante à anandamida. É um neurotransmissor canabinóide endógeno encontrado no corpo de animais e humanos, especialmente no cérebro. Também é encontrado em pequenas
quantidades no cacau e atua especificamente no comportamento humano. Por consequência, o THC e o CBD também atuam como antioxidantes e protetores dos nervos para reduzir a inflamação no corpo.

E como fica a NBA?

Sendo a cannabis tão importante no tratamento de dores em atletas, não causa espanto o grande número de celebridades e jogadores (de diversas ligas) que defendem o uso da substância.

Isiah Thomas

Um exemplo é o atleta Isiah Thomas. O campeão da NBA se tornou CEO de uma empresa farmacêutica do segmento de cannabis. Possuidor de diversos títulos, como o bicampeonato pelo Detroit em 1989 e 1990, diversas questões familiares levaram o jogador a apoiar e investir na cannabis como remédio.

Dessa forma, a maconha está se tornando mais popular no mundo dos esportes, à medida que um número crescente de atletas, incluindo triatletas como Clifford Drusinski, está se voltando para a cannabis medicinal.

A legalização em mais e mais estados pode inspirar a nova regulamentação da NBA, embora definitivamente não seja em breve. A NBA ainda não retirou a cannabis das substâncias proibidas, porém, não ira mais testar a substância.

Diversos jogadores se posicionaram a favor da cannabis ao longo da liga. Em 2020, Kevin Durant, durante um podcast, discutiu a questão da cannabis e todos os preconceitos que envolvem o tema.

Kevin Durant

Steve Nash é outro que falou dos benefícios da cannabis durante a carreira.

Steve Nash

Klay Thompson, outro jogador da liga NBA, investiu em produtos de CBD.

Klay Thompson

Um exemplo de como jogadores e ex-jogadores da NBA estão inseridos no debate sobre a cannabis é o podcast ALL THE SMOKE, realizado pelos campeões da NBA Matt Barnes e Stephen Jackson.

Desde a aposentadoria, Barnes se identifica como um defensor da cannabis na liga. No podcast, um dos maiores atualmente, os dois anfitriões debatem com os convidados diversos temas, entre eles cultura, justiça social, política e música. Os dois amigos próximos decidiram colaborar em um podcast por terem muitas histórias para contar e finalmente puderam revelá-las sem as restrições da NBA. Interessante notar o fato do relacionamento entre Jackson e Barnes ter começado pela cannabis.

Agora, Jackson e Barnes podem ser abertos em sua defesa dos jogadores que usam maconha para tratar dores.

Jackson e Barnes

O podcast apresentou convidados como Al Harrington (episódio que ficou famoso por Al detalhar a história de sua vó, portadora de glaucoma, com a cannabis), Stephen Curry, Kevin Durant, Dwyane Wade, Kevin Garnett e o falecido Kobe Bryant (em sua última entrevista ao ar).

O interesse dos ex-jogadores era criar um veículo onde pudessem ser brutalmente honestos sobre as questões da liga, incluindo o uso de cannabis. Neste sentido, os entrevistadores não possuem medo de cutucar e debater alguns tópicos e questões sensíveis.

Diversos atletas, treinadores e membros de equipes, comentaram sobre os benefícios da cannabis para o esporte. Em suma, o uso de maconha nas principais ligas esportivas americanas (basquete, futebol, hóquei e beisebol) não é raro.

Portanto, a legalização da droga em diferentes partes dos Estados Unidos levou o assunto para o centro das discussões, principalmente se aqueles que dirigem as ligas precisam reconsiderar a política de maconha ou se os jogadores que usam essa substância serão punidos.

Por isso, a probabilidade é grande que nos próximos anos, conforme a luta de jogadores e personalidades da sociedade civil, o consumo de cannabis seja permitido para jogadores da NBA. No entanto, a maconha ainda está na lista de substâncias banidas da NBA, e ser pego gera duras consequências, para não mencionar a reação da mídia.

Sobre o Autor:

Meu nome é Carlos Eduardo, paciente de Cannabis Medicinal e sócio fundador da Cultlight, empresa especializada em iluminação para horticultura e cultivo indoor. Pra quem já me conhece do Instagram ou do YouTube, eu sou o Cadu da Cultlight. Sou Engenheiro de Produção formado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde pesquiso sobre de Cannabis, cultivo, produção e autoprodução, principalmente com o foco medicinal. Te convido a acompanhar nossos conteúdos nas redes sociais para ter acesso a mais dicas e conteúdos técnicos gratuitos sobre cultivo de maconha!

Se você ainda possui alguma dúvida sobre cultivo de cannabis, por mais simples e básica que pareça ser, não hesite em entrar em contato com a Cultlight, nós faremos o possível para te ajudar ao longo de todo o caminho.

Chama lá!

+55 21 968731570

REFERÊNCIAS

https://www.cannabissciencetech.com/view/nba-halts-cannabis-testing-on-basketball-players-next-season

https://www.cbssports.com/nba/news/nba-wont-test-players-for-marijuana-during-2020-21-season/

https://www.cibdol.com/cbd-encyclopedia/what-is-the-difference-between-cbd-and-thc

5 pensamentos sobre “A Estreita Relação Entre Atletas da NBA e a Cannabis [2024]

  1. Souza disse:

    Muito bom este site, fizeram um ótimo trabalho.
    Parabéns!!!

    1. cultlight disse:

      Obrigado, Souza! É um prazer tê-lo por aqui! <3

  2. sistema comercial disse:

    Olá tudo bem!
    Muito bom este site.
    Desejo sucesso!!!

    1. cultlight disse:

      Obrigado! =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *